70 casais estão na fila da adoção em Passo Fundo

Créditos: Rádio Uirapuru

No Brasil, o tempo médio de espera para adoção é de quatro a cinco anos. Um dos fatores que interfere para que este período seja tão longo é que 92% dos casais inscritos no cadastro nacional querem Um filho de até cinco anos, mas somente 8,8% das crianças disponíveis para a adoção se encontram neste perfil.

 

Em Passo Fundo, 70 casais estão na fila de espera para adotar uma criança. Este foi o tema do programa Emoção e Afeto, Comportamento da última terça-feira, mediado pelo psiquiatra Dr. Erico Hecktheuer. A convidada desta semana foi a presidente da Adotche, Daniela Lange Rossetto. Ela explicou que o processo de adoção é complexo, requer maturidade e preparo emocional das famílias.

 

Segundo Daniela, o primeiro passo é ir até o fórum, providenciar uma série de documentos e ingressar na justiça. A Adotche, que é um grupo de apoio à adoção, auxilia neste processo. A presidente revelou uma informação pouco difundida de que uma mãe tem direito de não querer criar um filho, devendo manifestar essa escolha no posto de saúde onde faz o pré-natal ou até mesmo após o nascimento da criança, no hospital.

 

De acordo com ela, o que não pode ser feito é abandonar o filho ou escolher uma família para criá-lo. Quando isso acontece de forma ilegal, pode ser considerado tráfico de menor e levar à prisão. Daniela reforçou que a adoção precisa ser consentida pelo Estado e para isso há um procedimento legal.

Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Notícias Recomendadas