Ouça agora

Rádio AM 1170 Rádio FM 90.1

Ouça pelo celular



Ieda Almeida

  • Quarta-Feira, 17/01/2018

    Acorde Rico

    Quando você se preocupa com o que não tem, desperdiça o que você já tem. Você já tem tudo o que precisa para ser a pessoa que é.

     

    Tudo o que você já conquistou, tudo o que viveu, tudo o que você é hoje, isso é resultado do que você já tem.

     

    A vida é rica em si e já é sua. Concentre-se no que você pode fazer com ela. Procure maneiras de fazer a diferença de uma forma substancial. Em vez de se preocupar com o que você não tem, faça o melhor com o que você tem.

     

    Já é suficiente ter chegado tão longe. Quanto mais você valorizar o que tem, mais útil isso se tornará.

     

    A única coisa que impede fazer da sua vida a melhor possível é você mesmo. Você já tem o que é preciso. Existe um tesouro dentro de você esperando para ser descoberto.

     

    Comece a usar esse tesouro ainda hoje. Você pode acordar rico amanhã e se tornar mais rico a cada dia.

     

    *Rivalcir 

  • Terça-Feira, 16/01/2018

    Tenha paciência

    Ficamos muitas vezes intrigados com fatos e acontecimentos na nossa vida. Estamos o tempo todo achando porquês e justificativas. Quebramos a cabeça, procuramos ajuda em outros planos e, com freqüência, nosso consciente vem com aquela famosa pergunta: Por que eu? Isto só acontece comigo mesmo.

     

    Em primeiro lugar, saiba que o universo é rico em mistérios e para muitos deles, não estamos devidamente preparados para compreendê-los. Nestes casos será preciso alcançar um processo de evolução maior, ou seja, uma nova procura interior.

     

    O famoso “isto só acontece comigo” é um julgamento antecipado dos seus pensamentos, como forma de justificar sua culpa por um erro incompreendido. Quando encontramos dificuldades na compreensão das coisas que nos cercam, a primeira medida a ser tomada é saber que para tudo há uma resposta, mesmo que naquele momento ela não seja tão evidente.

     

    Quando isto acontecer, viva a vida plenamente sem olhar para trás, pois mais cedo ou mais tarde tudo se resolverá. Basta saber esperar!

     

    *Rivalcir 

  • Segunda-Feira, 15/01/2018

    A vida é como uma grande corrida de bicicleta

    A vida é como uma grande corrida de bicicleta – cuja meta é cumprir a Lenda Pessoal.

     

    Na largada, estamos juntos – compartindo camaradagem e entusiasmo.

     

    Mas, à medida que a corrida se desenvolve, a alegria inicial cede lugar aos verdadeiros desafios: o cansaço, a monotonia, as dúvidas quanto à própria capacidade.

     

    Reparamos que alguns amigos desistiram do desafio – ainda estão correndo, mas apenas por que não podem parar no meio de uma estrada; eles são numerosos, pedalam ao lado do carro de apoio, conversam entre si, e cumprem uma obrigação.

     

    Terminamos por nos distanciar deles; e então somos obrigados a enfrentar a solidão, as surpresas com as curvas desconhecidas, os problemas com a bicicleta.


    Perguntamo-nos finalmente se vale a pena tanto esforço.

     

    Sim, vale. É só não desistir.

     

    *Paulo Coelho

  • Sexta-Feira, 12/01/2018

    Paganini

    ERA UMA VEZ um grande violinista chamado PAGANINI. Outros, que era sobrenatural. Alguns diziam que ele era muito estranho.

     

    As notas mágicas que saíam de seu violino tinham um som diferente, por isso ninguém queria perder a oportunidade de ver seu espetáculo. Numa certa noite, o palco de um auditório repleto de admiradores estava preparado para recebê-lo. A orquestra entrou e foi aplaudida. O maestro foi ovacionado. Mas quando a figura de Paganini surgiu, triunfante, o público delirou.

     

    Paganini coloca seu violino no ombro e o que se assiste a seguir é indescritível. Breves e semibreves, fusas e semifusas, colcheias e semicolcheias parecem ter asas e voar com o toque daqueles dedos encantados.

     

    DE REPENTE, um som estranho interrompe o devaneio da plateia. Uma das cordas do violino de Paganini arrebenta. O maestro parou. Mas Paganini não parou. A orquestra parou. O público parou. Olhando para sua partitura, ele continua a tirar sons deliciosos de um violino com problemas.

     

    O maestro e a orquestra, empolgados, voltam a tocar. Mal o público se acalmou quando, DE REPENTE, um outro som perturbador derruba a atenção dos assistentes. Uma outra corda do violino de Paganini se rompe. O maestro parou de novo. A orquestra parou de novo Paganini não parou.

     

    Como se nada tivesse acontecido, ele esqueceu as dificuldades e avançou tirando sons do impossível. O maestro e a orquestra, impressionados voltam a tocar. Mas o público não poderia imaginar o que iria acontecer a seguir.


    Todas as pessoas, pasmas, gritaram OOHHH!

     

    Que ecoou pela abobadilha daquele auditório. Uma terceira corda do violino de Paganini se quebra. O maestro pára. A orquestra pára. A respiração do público pára. Mas Paganini não pára. Como se fosse um contorcionista musical, ele tira todos os sons da única corda que sobrara daquele violino destruído.

     

    Nenhuma nota foi esquecida. O maestro empolgado se anima. A orquestra se motiva. O público parte do silêncio para a euforia, da inércia para o delírio. Paganini atinge a glória. Seu nome corre através do tempo. Ele não é apenas um violinista genial. É o símbolo do profissional que continua diante do impossível.

     

    MORAL DA HISTÓRIA: Eu não sei o tipo de problemas que você está tendo. Pode ser um problema pessoal, conjugal, familiar, sei lá o quê é que está afetando sua estima ou seu desempenho profissional. Mas uma coisa eu sei. Nem tudo está perdido. Ainda existe uma corda e é tocando nela que você exercerá seu talento. Tocando nela é que você irá vibrar.

     

    Aprenda a aceitar que a vida sempre lhe deixará uma última corda. Quando você estiver desanimada(o), nunca desista.


    Ainda existirá a corda da persistência inteligente, do "tentar mais uma vez ", do dar um passo a mais com um enfoque novo. Desperte o Paganini que existe dentro de você e avance para vencer.

  • Quinta-Feira, 11/01/2018

    O Problema do Egoísmo

    A tirania do egoísmo é o principal desafio que temos para construir uma civilização à altura da real humanidade que representamos.

     

    Nesse sentido, o assunto consiste em encontrar o lugar certo para o egoísmo, pois há uma utilidade para esse no esquema universal, assim como também há o problema decorrente do seu abuso.

     

    Somos entidades cósmicas criativas, emanamos faíscas de Vida e as projetamos consciente e inconscientemente na realidade para moldá-la ao nosso bel prazer.

     

    Esta é a utilidade do egoísmo. A inutilidade do egoísmo consiste em nos apegarmos tanto a esse processo e o identificarmos como próprio que perdemos de vista o vínculo com o Universo.

     

    Afinal, a Vida não começa nem termina com nossas presenças, ressuscita, se preserva e autodestrói através de todos e de cada um.


    Arauto do Futuro

Pesquisar artigos anteriores

Você acha que a família e a escola agem com responsabilidade quando o assunto é alimentação das crianças?

Copyright © 2018 Grupo Uirapuru . Todos os direitos reservados. Parceria Sistemas