Ouça agora

Rádio AM 1170 Rádio FM 102.5

Ouça pelo celular



Ieda Almeida

  • Quinta-Feira, 13/09/2018

    Mala vazia

    Um homem morreu.

     

    Ao se dar conta, viu que Deus se aproximava e tinha uma maleta com Ele.

     

    E Deus disse:

     

    - Bem, filho, hora de irmos.

     

    O homem assombrado perguntou:

     

    - Já? Tão rápido?

     

    Eu tinha muitos planos...

     

    - Sinto muito, mas é o momento de sua partida.

     

    - O que tem na maleta?

     

    Perguntou o homem.

     

    E Deus respondeu:

     

    - Os seus pertences!!!

     

    - Meus pertences?

     

    Minhas coisas, minha roupa, meu dinheiro?

     

    Deus respondeu:

     

    - Esses nunca foram seus, eram da terra.

     

    - Então são as minhas recordações?

     

    - Elas nunca foram suas, elas eram do tempo.

     

    - Meus talentos?

     

    - Esses não pertenciam a você, eram das circunstâncias.

     

    - Então são meus amigos, meus familiares?

     

    - Sinto muito, eles nunca pertenceram a você, eles eram do caminho.

     

    - Minha mulher e meus filhos?

     

    - Eles nunca lhe pertenceram, eram de seu coração.

     

    - É o meu corpo. - Nunca foi seu, ele era do pó.

     

    - Então é a minha alma.

     

    - Não!

     

    Essa é minha.

     

    Então, o homem cheio de medo, tomou a maleta de Deus e ao abri-la se deu conta de que estava vazia...

     

    Com uma lágrima de desamparo brotando em seus olhos, o homem disse:

     

    - Nunca tive nada?

     

    - É assim, cada um dos momentos que você viveu foram seus.

     

    A vida é só um momento...

     

    Um momento só seu!

     

    Por isso, enquanto estiver no tempo, desfrute-o em sua totalidade.

     

    Que nada do que você acredita que lhe pertence o detenha...

     

    Viva o agora!

     

    Viva sua vida!

     

    E não se esqueça de SER FELIZ, é o único que realmente vale a pena!

     

    As coisas materiais e todo o resto pelo que você luta fica aqui.

     

    VOCÊ NÃO LEVA NADA!

     

    Valorize àqueles que valorizam você, não perca tempo com alguém que não tem tempo para você.

  • Quarta-Feira, 12/09/2018

    Aprenda a se impor na vida, no amor, nas amizades e até mesmo com sua família

    Aprenda a se impor na vida, no amor, nas amizades e até mesmo com sua família.

     

    Espaços existem para serem respeitados, e onde termina o seu, começa o do outro.

     

    Relevar é importante, porque levar a vida a pau e pedra não é saudável. Mas deixar que as pessoas nos façam de gato e sapato também não é o caminho.

     

    Precisamos estabelecer limites em todos os nossos relacionamentos interpessoais.

     

    Se impor com respeito e sem agressividade é quase uma necessidade.

     

    Devemos nos doar sim, fazer o bem sem olhar a quem, mas não podemos esquecer de filtrar tudo aquilo que não nos faz bem também.

     

    Amizades, relacionamentos que sugam, que se aproveitam da nossa boa vontade, não nos fazem bem, porque é necessário que exista mutualidade.

     

    Em tudo e para tudo nessa vida, devemos almejar o equilíbrio.

     

    Até mesmo a nossa família, precisa respeitar nossas vontades, nossas decisões, e nosso espaço. E as vezes, temos que ensinar as pessoas como queremos e gostaríamos de ser tratados.

     

    E isso nada mais é do que amor próprio e autorrespeito. Afinal tudo começa a partir de como nos vemos e nos tratamos.

     

    Se aprendemos a nos amar, respeitar e cuidar de todos os aspectos de nossa saúde mental, física e espiritual, trataremos os outros da mesma maneira, com amor, respeito e compaixão.

     

    Então não podemos permitir, que nossa bondade, gentileza e generosidade, seja confundida com fraqueza e submissão às decisões, opiniões e vontades alheias.

     

    *Wandy Luz

  • Terça-Feira, 11/09/2018

    Não se envenene

    Se alguém colocasse veneno na sua água e você descobrisse isso, você a beberia mesmo assim? Certamente não. Certos elementos químicos que você consegue ver, provar, tocar e sentir o odor podem ser fatais. Felizmente somos dotados de instintos de auto-preservação que nos coíbem de ingerir ingênua e deliberadamente tais substâncias.

     

    Mas o que dizer da sua mente? Repetidamente as pessoas estão envenenando seus pensamentos com o negativismo. E ainda que não possam vê-lo, prová-lo ou tocá-lo, ele pode ser igualmente fatal.

     

    Mas o que é esse veneno? Negativismo é o veneno que mata os mais preciosos sonhos de uma pessoa. Ele começa com pensamentos negativos, que devem ser contidos a todo custo, posto que contaminam e se alastram.

     

    Para fazer frente a isso, é necessário que você monitore os pensamentos que permitem a entrada desse veneno em sua mente. Cada um de seus pensamentos! Se você se descobre pensando negativamente, repense. Parte do processo de mudar seu pensamento do negativo para o positivo consiste em ser grato pelas preciosas dádivas que a vida pode nos oferecer.

     

    *www.rivalcir.com.br

  • Segunda-Feira, 10/09/2018

    Solidão não se cura com o amor dos outros, mas com amor próprio

    A solidão é um tema muito explorado, analisado, retratado em filmes, telas, músicas, pois faz parte da vida, sendo um sentimento que tentamos evitar, que não queremos vivenciar. Ainda mais hoje, em tempos de amizades virtuais voláteis, competitividade à toda prova e desconfiança generalizada em relação às intenções alheias. Parece que os ambientes contemporâneos são propícios à proliferação de solidão, estejamos ou não acompanhados.

     

    Muitos confundem solidão com estar sozinho, o que, na verdade, não tem relação. Somos perfeitamente capazes de estar bem sozinhos, sem ninguém ao nosso lado. Isso porque uma pessoa solitária não sente necessariamente solidão, assim como pessoas com vários amigos e familiares não estão imunes a esse sentimento. A solidão tem muito a ver com nosso estado de espírito, com o que estamos sentindo aqui dentro, com aquilo que pensamos sobre nós mesmos.

     

    O que importa é nos conhecermos o mais de perto possível, ter a certeza do que queremos, do que nos faz bem, de quem queremos por perto, ou seja, temos que saber a que viemos, o que nos completa de fato. É preciso prestar mais atenção em nós mesmos, no que nosso corpo e nossa alma pedem, para podermos contar com tudo o que faz o nosso coração vibrar. Ficarmos nos comparando com os outros ou dando ouvidos a palpites de quem nem nos conhece direito atrapalhará tudo dentro da gente.

     

    Vale aquela velha história: cada um de nós é alguém único, com carências e necessidades próprias, ou seja, nem tudo o que traz solidão para uns o trará também para os outros. Não adianta tentarmos entender as pessoas a partir de nós mesmos, assim como também pode não dar certo tentar cobrir o que nos falta com o que já funcionou para os outros. Temos, sim, que encarar o que somos, enfrentar o que tememos e aceitar tudo o que temos dentro de nós, pois é com isso que teremos de lidar diariamente.

     

    Ame-se, aceite-se, aprenda a dar valor ao que você é, ao que você possui, ao que você pensa, sonha, fala, vive. Ninguém enxergará o tanto que somos e temos a compartilhar, a ensinar, a receber, caso teimemos em reprimir aqui dentro as nossas verdades, o nosso corpo, a nossa essência. Porque quem se ama e se valoriza, não sente solidão, pois tem junto consigo tudo de que precisa para ser feliz. E, sendo alguém satisfeito consigo mesmo, saberá desfrutar a vida, com gente ou sem ninguém. Nem mais.


    *Prof. Marcel Camargo

  • Quarta-Feira, 05/09/2018

    Pessoas boas costumam se ferrar, mas sempre estão felizes

    Mesmo que soe a clichê, a filosofia de botequim, não dá para fugirmos à constatação de que a bondade é a porta de entrada de incontáveis decepções. Porque o mundo atual vale-se da distorcida esperteza como válvula de sucesso, ou seja, muitos usam dessa esperteza com má fé, justamente em relação àqueles que confiam neles, àqueles que ingenuamente julgam o coração de todo mundo de acordo com o próprio.

     

    E, por pessoa boa, não se relaciona, aqui, a alguém bonzinho, mas a uma pessoa com olhos limpos e generosos, com mãos que se estendem, com ouvidos atentos e coração leve. Trata-se daquele tipo de pessoa que não se nega a ajudar, que compartilha conhecimento, que divide riquezas da alma, sem apego emocional. Desapegam-se de si mesmas, porque somente se sentem humanas quando são parte de um todo.

     

    São aqueles amigos que nunca demonstram desinteresse por nós, os colegas de trabalho que não são capazes de guardar para si algum tipo de conhecimento, os familiares que se lembram de nós mesmo do outro lado do mundo. Pessoas boas, gratas, sensíveis, com empatia suficiente para saírem de seus mundos e abraçarem o mundo de qualquer pessoa que precise de algo.

     

    Infelizmente, quem possui uma essência por demais bondosa inevitavelmente será vítima do mau uso de suas ofertas por parte daqueles que só pensam em se aproveitar, em maldizer, em puxar tapetes, passando por muitas situações difíceis em que terá que confrontar o bem que possui com o mal que rodeia sua vida, a nossa vida, a vida de quem quer que seja. Triste, mas inevitável, a doçura da amabilidade sempre encontrará a contrariedade ferrenha do ódio amargo dos infelizes.


    Pessoas bondosas costumam acreditar no melhor de cada um, pintando a vida com as cores leves da humildade e do acolhimento, desejando a felicidade alheia, pois querem que todos sejam tão felizes quanto elas próprias se sentem. E, ao longo do percurso, irão se deparar com o pior do ser humano, com a mentira, com a inveja, com a mesquinhez, com o mau-humor e a maldade daqueles que jamais serão capazes de sorrir com gratidão.

     

    Mesmo assim, continuarão a sorrir, a caminhar tranquilamente, a acordar com o propósito de ser e de fazer gente feliz, porque é assim que sua alma se torna cada vez mais rica e agraciada com as bênçãos que só quem é alegre com verdade está pronto para receber. Todos os dias.


    *Prof. Marcel Camargo

Pesquisar artigos anteriores

Você acha que Passo Fundo é uma cidade segura?

Copyright © 2018 Grupo Uirapuru . Todos os direitos reservados. Parceria Sistemas