Ouça agora

Rádio AM 1170 Rádio FM 90.1

Ouça pelo celular



Ieda Almeida

  • Quinta-Feira, 15/06/2017

    Aprender a se perdoar

    A vida é um processo de perdas e ganhos, o que nem sempre é tão fácil de entender e administrar. Planejamos coisas, sonhamos e a vida trata de nos levar por outros caminhos. Às vezes, nós mesmos saímos daquilo que planejamos por erros que cometemos. Assim, a nossa vida parece ficar sem sentido, sem razão de ser. Ficamos distantes daquilo que nosso coração deseja e nos tornamos estranhos de nós mesmos.

     

    Com o tempo esse estranhamento torna-se permanente, de modo que não conseguimos olhar para o que um dia queríamos da vida. Dessa forma, nos tornamos almas vazias, incapazes de sonhar. Presos aos acontecimentos do passado, não conseguimos manter a chama dos sonhos viva no presente para que busquemos realizá-los.

     

    É preciso aprender a se perdoar para que se possa seguir em frente. Ficar preso àquilo que erramos apenas nos retira o ânimo que necessitamos para viver. Todos nós erramos, pois não sabemos de tudo e precisamos cair para aprender a levantar.

    Além disso, como disse, existem coisas que não controlamos, de maneira que não devemos nos martirizar pelos empecilhos impostos pela própria vida.

     

    Deixar de sonhar e acreditar que os seus sonhos não são possíveis de serem alcançados, é tão somente anular-se enquanto ser humano e passar a viver o fantasma de uma vida que outrora tinha fé e sabia sorrir e dançar. Não digo fé do ponto de vista religioso, mas a fé que devemos ter em nós mesmos, a qual é essencial para que mantenhamo-nos animados e fortes para enfrentar as dificuldades inerentes a qualquer caminhada.

     

    Por mais que queiramos, o passado não pode ser alterado. Sendo assim, ter excesso de passado apenas retira a energia necessária ao presente. Não se deve esquecer o passado, as memórias, pois os nossos erros servem como crescimento emocional e amadurecimento, a fim de que em novas situações saibamos como agir.

     

    Ademais, devemos aprender a olhar para o passado e enxergar onde acertamos também. Ninguém apenas acerta, assim como, não é um erro perene. O suicídio emocional que fazemos cria uma seletividade, na qual apagamos tudo o que fizemos de bom e nossos acertos.

     

    Por mais que tudo pareça não funcionar e ninguém acredite em nós, precisamos manter o tesão pela vida, por àquilo que há de belo e ser a nossa própria fonte de energia. Parece besteira, mas é muito mais fácil perdoar os outros do que se perdoar e dar um voto de confiança a si próprio. Se erramos, por mais que queiramos, isso não pode ser modificado, portanto, deixe de ser o seu próprio inquisidor e acredite que mesmo com asas machucadas ainda pode voar.

     

    A vida nunca será fácil para quem busca realizar os seus sonhos. Sempre haverá dificuldades, obstáculos e pessoas que lhe farão desacreditar em você. No entanto, se culpar não resolve o problema, bem como pode te levar a depressões distantes das montanhas.

     

    Perdoe-se, dê colorido aos seus sonhos e se mantenha animado. Não se torne apenas um rabisco, pois com o tempo este se torna tão fraco que passamos a não enxergá-lo. Acredite em que é e tenha coragem de arriscar, pois como bem disseram:

     

    “O mundo está nas mãos daqueles que têm coragem de sonhar e de correr o risco de viver os seus sonhos".

     

    *Por Resiliência Humana

  • Quarta-Feira, 14/06/2017

    Aprenda a Ouvir a Opinião de Outros

    Busque sempre uma opinião sincera em relação às coisas que você faz. Quando você vê suas forças e fraquezas através dos olhos de outra pessoa, você tem um caminho definido para o aperfeiçoamento. E o contínuo aperfeiçoamento levará ao sucesso.

     

    Todas as pessoas que se encontram agora no topo, começaram de baixo. Toda empresa grande e bem sucedida foi, no passado, um simples projeto. Todos eles começaram de baixo e subiram ao topo através de contínuo aperfeiçoamento.

     

    O sucesso depende do valor que agregamos às pessoas. Por isso é crucial sabermos exatamente como as pessoas percebem o valor que você agrega. Todos os dias, você tem a oportunidade de fazer pequenas melhorias no seu trabalho.

     

    Uma opinião sincera e bem intencionada , vinda de pessoas que são diretamente tocadas pelo seu trabalho, lhe mostrará como fazer isso. É um recurso valioso que pode colocá-lo à frente.

  • Terça-Feira, 13/06/2017

    A Arte de não falar nada, só observar

    Saber a hora de dizer algo e o momento de não falar nada é uma arte, pois é assim que resguardaremos nossas forças para o enfrentamento do que realmente importa.

     

    Não é por nada, mas vem crescendo deveras a quantidade de opiniões descompassadas, agressivas e preconceituosas sobre os mais variados fatos que ocorrem. Tanto nas redes sociais, quanto na mídia em geral e nas rodas de conversa, ouvem-se verdadeiros absurdos, mensagens de ódio e destempero, carregados de retrocesso e violência, muitas vezes de forma não velada.

     

    Ao mesmo tempo, aumentou o número de pessoas que se prontifica a cuidar da vida dos outros, palpitando sobre o que não lhes diz respeito, intrometendo-se em assuntos estritamente pessoais, incomodados com o que nem deveriam pensar sobre. Quantos fiscais da vida alheia abundam entre os recantos do país, quanta gente rota falando das rasgadas, quanta hipocrisia neste mundão.

     

    Por isso é que se torna cada vez mais necessário nos calarmos diante daquilo que não tem a ver com nossas vidas, diante de quem fala barbaridades, de quem ataca o outro com ódio, sem razão nem por quê. Sim, o melhor a se fazer é apenas observar, calar-se e prestar atenção, como mero espectador, enquanto o outro se afunda na própria cova de maldades. O silêncio não ferra, não violenta, não nos deixará em maus lençóis.

     

    Embora tenhamos que nos impor, em determinadas circunstâncias, dizendo o que sentimos, sem ressalvas, a fim de que nossos limites nos salvem, praticar o silêncio nos poupará de contendas inúteis, de discussões desgastantes, de assuntos desnecessários e de pessoas irritantes. Saber a hora de dizer algo e o momento de não falar nada é uma arte, pois é assim que resguardaremos nossas forças para o enfrentamento do que realmente importa.

     

    A vida nos coloca de frente com os mais variados tipos de pessoas, inclusive com quem colocará à prova nossa paciência, nosso equilíbrio interior. Caberá a nós o discernimento necessário, para que não nos afundemos na lama alheia, mantendo nossa integridade intacta. Para tanto, calar e observar em muito nos ajudará a prosseguir em paz com nós mesmos, em busca de lugares saudáveis e de gente que soma, sem que desistamos de nossa felicidade por conta da verborragia inútil de quem se intromete onde não é chamado.

     

    Por Prof. Marcel Camargo

     

  • Segunda-Feira, 12/06/2017

    Dia dos namorados: solteiros X comprometidos

    12 de junho! Muitos neste momento estão pensando no presente do dia dos namorados, no que dar aquela pessoa que faz seu coração bater cada vez mais forte. Não é só sobre presentear quem se ama que esse dia se trata, mas mostrar o quanto ela é importante na sua vida. É uma forma de gratidão pelos bons momentos, pelos dias em que ele aguentou suas crises , pelo dia em que se irritou por nada, que criou problemas sem sentido, pelo abraço apertado no dia em que mais precisou, por estar presente nos melhores e piores momentos que passou.

     

    As redes sociais chovem fotos com corações e elogios. O amor transborda! Mas há os solteiros, e boa parte deles se sentem sozinhos nessa época, ficam tristes, e para despistar ou não dar tanto assim na cara o desgosto por estarem sozinhos, se alugam em forma de brincadeira no dia dos namorados, outros tentam mostrar que não estão nem aí, mas no fundo, só queriam alguém para passar essa data.

     

    Sabe aquele papo de que devemos nos alegrar com a felicidade alheia? Pois é, essa é uma oportunidade. Se você está namorando celebre a data, fique pertinho de quem ama, mostre que ele (a) é especial e agradeça por tudo o que fez e por caminharem tão bem juntos. O amor é lindo, ele floresce, se mostra e não cabe em um potinho, porque o amor transborda, se mostra e contagia.

     

    Se você está solteiro não se lamente. O importante é em primeiro lugar você se amar, é ter amor próprio e não querer e aceitar um namoro só porque não quer passar essa data sozinho. É bobagem. Essa é uma data especial sim, mas para quem namora, digamos que é como uma data de casamento. Quem faz isso? Os casados, então deixa os namorados comemorarem do jeito deles.

     

    Quanto mais desejamos coisas boas aos demais, mais elas voltam para nós. Se não está namorando é porque não apareceu ninguém legal. E que bom que não está com qualquer um só para celebrar essa data. Eu sei que muitos querem se mostrar nessa data, que arrumam qualquer um para mostrar aos outros, mas essa não é a verdadeira essência da data. Não torne o amor comercial ou superficial.

     

    Entrar em um relacionamento é também se comprometer a amar e respeitar, é saber aceitar as diferenças, ser tolerante, responsável, amoroso, leal, entre tantas outras coisas. Parece ser fácil quando as escrevemos, mas não é. Quem vive em um relacionamento sabe o quão difícil é. Não são todos os dias de flores, há crises, brigas, choros, risadas, mas o amor é o que prevalece.

     

    O amor sempre vale a pena estando você namorando ou não. O amor é para se mostrar, não estou dizendo que é para esfregar na cara dos amigos. Não! O amor é entre duas pessoas que se amam e por ser tão forte ele acaba escorrendo pelos dedos, porque ele não aguenta ficar preso, ele quer se mostrar ao mundo e é absolutamente natural.


    Por Aline Felix

  • Sexta-Feira, 09/06/2017

    As portas

    Se você abre uma porta, você pode ou não entrar em uma nova sala. Você pode não entrar e ficar observando a vida. Mas se você vence a dúvida, o temor, e entra, dá um grande passo: nesta sala vive-se! Mas, também, tem um preço...

     

    São inúmeras outras portas que você descobre.


    Às vezes curte-se mil e uma. O grande segredo é saber quando e qual porta deve ser aberta. A vida não é rigorosa, ela propicia erros e acertos. Os erros podem ser transformados em acertos quando com eles se aprende.

     

    Não existe a segurança do acerto eterno. A vida é generosa, a cada sala que se vive, descobre-se tantas outras portas. E a vida enriquece quem se arrisca a abrir novas portas. Ela privilegia quem descobre seus segredos e generosamente oferece afortunadas portas.

     

    Mas a vida também pode ser dura e severa. Se você não ultrapassar a porta, terá sempre a mesma porta pela frente. É a repetição perante a criação, é a monotonia monocromática perante a multiplicidade das cores, é a estagnação da vida...

     

    Para a vida, as portas não são obstáculos, mas diferentes passagens!"

     

    www.rivalcir.com.br

Pesquisar artigos anteriores

Você participa do movimento comunitário de Passo Fundo?

Copyright © 2017 Grupo Uirapuru . Todos os direitos reservados. Parceria Sistemas