Ouça agora

Rádio AM 1170 Rádio FM 90.1

Ouça pelo celular



Valdir Mello

  • Segunda-Feira, 25/09/2017

    Prazo para entrega do Imposto sobre Propriedade Territorial Rural vai até sexta-feira

    A Receita Federal está recebendo as declarações do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR) referentes ao exercício 2017. O prazo final para entrega é até 29 de setembro, próxima sexta-feira e não há acréscimos se o pagamento ocorrer até essa data.O pagamento do imposto pode ser parcelado em até quatro quotas, mensais, iguais e sucessivas, desde que cada quota não seja inferior a R$ 50. O imposto de valor até R$ 100 deve ser recolhido em quota única. A multa por atraso da declaração é 1% ao mês calendário ou fração sobre o imposto devido. Caso o dono de propriedade rural não declarar o ITR, ele perde o direito de usar o imposto daquele ano para cálculo do Imposto de Renda quando for vender o bem. Também perde a certidão negativa do imóvel, necessária para requerer o crédito rural. A propriedade rural em área urbana também deve recolher o ITR.

  • Sábado, 23/09/2017

    Batalha do Pulador será em Santo Augusto por falta de recursos em Passo Fundo

    Por falta de recursos financeiros em Passo Fundo, a tradicional encenação da Batalha do Pulador não será realizada  aqui neste ano. A informação foi dada pelo comandante do Grupo Cultural e Tradicional dos Cavaleiros do Mercosul, Varlei Catto. Em 2014 ela também não aconteceu por falta de verbas. A pequena cidade de Santo Augusto comprou a ideia, organizou patrocinadores e vai viabilizar o evento, que tradicionalmente acontecia em Passo Fundo, onde o fato real ocorreu.

     

     Os Cavaleiros do Mercosul foram convidados para encenar a Batalha do Pulador no município de Santo Augusto, a 134 quilômetros de Passo Fundo. O evento já é nesse domingo (24). Santo Augusto também foi palco de um confronto entre Chimangos e Maragatos, em 1923. O campo de batalha, o Cemitério dos Degolados, é hoje ponto histórico turístico. Lá a cidade se organizou e levantou a verba necessária para o evento, inclusive os custos com uma equipe que vai se deslocar desde Passo Fundo. Aos passo-fundenses, resta a possibilidade de sair da cidade onde ocorreu a batalha original para ver a encenação em um município distante, mas que conseguiu as verbas.

     

    Catto contou à Uirapuru que não é barato montar toda a infraestrutura do espetáculo no Pulador, mas acredita que o evento retorne com força em 2018, com o apoio do Poder Público. A ideia é de que a encenação possa ser feita até mesmo no Parque de Rodeios da Roselândia. Destacou que a suspensão em Passo Fundo não vai impedir que o grupo conte para o povo um pouco do que aconteceu na nossa terra.

     

    A encenação retrata um dos episódios mais importantes da história dos gaúchos. A Batalha do Pulador ocorreu há 123 anos na localidade de Pulador, hoje distrito de Passo Fundo, onde cerca de 4.500 homens, maragatos e pica-paus, travaram um violento combate durante seis horas, que resultou em aproximadamente 1.000 mortos. A batalha colaborou para o enfraquecimento definitivo dos maragatos, que foram obrigados a assinar o tratado de paz um ano depois.

  • Sexta-Feira, 22/09/2017

    Inadimplência do consumidor cai 3,1%

    A inadimplência do consumidor caiu 3,1% em agosto de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC. Na análise acumulada em 12 meses (setembro de 2016 até agosto de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração de 2,1%. Nos valores acumulados no ano, a inadimplência ainda apresenta retração de 1,0% quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Já quando comparado o resultado contra o mesmo mês de 2016, o indicador apresentou 3,7%. Para o diretor do SCPC Passo Fundo, Valter Ceolin, “as adversidades da economia brasileira ao longo dos últimos anos geraram grande cautela nas famílias, inibindo o consumo e consequentemente contribuindo para a diminuição da inadimplência”, disse. Segundo ele, mantendo a perspectiva de pequeno crescimento da economia e renda, espera-se uma retomada da demanda de crédito, expandindo a renda das famílias, fatores que deverão colaborar para a manutenção de um ritmo estável do estoque de inadimplência em 2017. O indicador de registro de inadimplência é elaborado a partir da quantidade de novos registros de dívidas vencidas e não pagas informados à Boa Vista SCPC pelas empresas credoras. As séries têm como ano base a média de 2011 = 100 e passam por ajuste sazonal para avaliação da variação mensal.

     

  • Quinta-Feira, 21/09/2017

    Ideia que deu certo: 120 kg de lixo são recolhidos mensalmente nas barreiras de contenção do Rio Passo Fundo

    Como acontece todo o ano, a Prefeitura está finalizando mais uma limpeza no Rio Passo Fundo e no Arroio Santo Antônio. A iniciativa busca reduzir os impactos da poluição e incentivar a preservação ambiental. Os serviços são prestados pela empresa Via Norte e acontecem duas vezes ao ano. Além da limpeza, ao longo do rio foram instaladas três barreiras de contenção de resíduos. O recolhimento é feito a cada 15 dias. Conforme o secretário municipal de Meio Ambiente, Rubens Astolfi, são retirados, em média, 120 quilos de lixo por mês. A maioria é resíduo leve, como garrafas PETs e isopores, que poderiam ter ido para a coleta convencional realizada nos bairros. Nas comunidades ribeirinhas, onde tradicionalmente ocorriam os descartes de forma irregular, como Vila Popular e Annes, foram instalados contêineres para o depósito de lixo mais pesado. São ao todo sete. Nesses locais, a limpeza é feita uma vez por semana. Por mês são recolhidas cerca de 12 toneladas de resíduos. O secretário Rubens ressalta que é importante que os moradores façam o descarte correto e condicionem os seus resíduos para a coleta convencional, evitando que eles parem em terrenos baldios e em bocas de lobo. A orientação para a população é que deposite o lixo mais próximo do horário do caminhão de coleta para evitar que ele se espalhe. A ação da chuva ajuda a fazer com esses resíduos parem no sistema de drenagem e posteriormente no rio.

  • Quarta-Feira, 20/09/2017

    Posto MaxSul se consolida em Passo Fundo com preço competitivo

    Presente em Passo Fundo há três meses, o posto MaxSul trouxe competitividade para o mercado de combustível. O município tinha um dos preços mais caros de gasolina da região e hoje as empresas são obrigadas a trabalhar com valores diferenciados. Localizado na Avenida Presidente Vargas, próximo da Millenium, o MaxSul segue com intenso movimento. Além dos preços, com litro de gasolina aditivada e comum a R$ 3,99, o que chama a atenção dos motoristas é a qualidade dos produtos, que possuem rigoroso controle. Na Uirapuru, o gerente de distribuição da rede de Santa Catarina, Marcos Coser, contou que ficaram surpresos com a repercussão e com a receptividade dos passo-fundenses. Explicou que o MaxSul consegue fazer um valor mais acessível aos consumidores porque o seu volume de compra é maior. Disse que a intenção era manter o litro a R$ 3,29, mas não foi possível por causa dos ajustes do governo no PIS e Cofins. Coser ressaltou que a empresa acaba absorvendo a maioria do reajustes da nova política de revisão de preços da Petrobras. Mas, quando os aumentos chegam a 3,5% e 4%, fica inviável para a rede não repassar aos clientes. Marcos Coser salientou que os preços competitivos trazem benefícios para a população e para a cidade. Frisou que aos poucos o MaxSul vai assumindo o seu papel em Passo Fundo e na região. O posto Maxsul funciona de segunda a sábado, das 6h30 às 22h, e no domingo, das 7h às 20h.

Pesquisar artigos anteriores

Dar esmola para moradores de rua resolve problema social?

Copyright © 2017 Grupo Uirapuru . Todos os direitos reservados. Parceria Sistemas