Ouça agora

Rádio AM 1170 Rádio FM 90.1

Ouça pelo celular



Valdir Mello

  • Terça-Feira, 18/04/2017

    Com dinheiro garantido, mas sem novidades, reforma do aeroporto de Passo Fundo ainda está no papel

    A tão aguardada obra de reforma do Aeroporto Lauro Kortz de Passo Fundo por enquanto ainda é apenas uma promessa. O valor de R$ 44 milhões está disponível para a obra, mas desde que o recurso foi assegurado nenhuma novidade foi passada pelo governo.

     

    A grande esperança era de que a licitação para a contratação da empresa que realizará a reforma fosse aberta ainda na primeira quinzena deste mês, o que não se confirmou. Também há previsão para que as obras comecem neste ano.

     

    O presidente da comissão na Câmara de Vereadores que trata sobre o tema, vereador Paulo Neckle, afirmou que haverá uma reunião no dia 26 de abril, em Brasília, com o Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella.

     

    Na reunião a comissão vai cobrar os próximos passos da reforma, uma vez que o dinheiro está garantido, mas até o momento não há nenhuma movimentação sobre o assunto.

  • Segunda-Feira, 17/04/2017

    Baixo preço da soja desestimula agricultores a venderem o grão

    O Rio Grande do Sul, pelo quinto ano consecutivo, deve bater recordes na colheita da soja. A produção gaúcha fica atrás apenas do Mato Grosso e Paraná. O último levantamento feito pela EMATER/RS apontou uma estimava do Estado colher entorno de 17 milhões de toneladas.

     

    Em Passo Fundo e região, a colheita do grão segue em ritmo acelerado, cerca de 90% da área cultivada já foi colhida. A boa produtividade desse ano superou as expectativas, no município, em média estão sendo colhidos 65 sacas por hectare.

     

    No entanto, o baixo preço desestimula o agricultor a querer vender a soja, expondo a dificuldade que o Estado tem como um todo de armazenamento, tanto do produtor como dos próprios cerealistas. O preço médio hoje está cotado entre R$ 56 a R$ 58. Bem diferente do valor pago em meados de 2016, onde a saca da soja chegou a quase R$ 90,00.

     

    O engenheiro agrônomo da Emater, Claudio Doro explica que o baixo preço é reflexo da lei de oferta e procura. Segundo ele, o consumo da soja no mundo, não está seguindo o mesmo ritmo da oferta. Ele conta que a oferta neste ano cresceu entorno de 10%, sendo que a demanda pelo produto apenas 5%, o que faz com que os preços não reajam.

  • Sábado, 15/04/2017

    Dez novos professores iniciam atividades em Passo Fundo na Próxima Segunda- Feira

    A prefeitura de Passo Fundo nomeou na última quinta-feira dez professores aprovados no último concurso público para o magistério municipal, realizado em dezembro de 2016. Estes profissionais começam a lecionar a partir da próxima segunda-feira ). São 10 professores de educação infantil nível I e 8 assistentes de educação infantil que passam a fazer parte do quadro funcional. Estes profissionais trabalharão nas escolas de educação infantil Branca de Neve, Padre Zezinho, José Antônio Falcão, Fadinha, Francisco Bianchini, André Zaffari, Padre Pergentino Dalmagro, Pequeno Polegar, Toquinho de Gente, Jardim do Sol e Cantinho Feliz. Inicialmente, foram chamados 10 professores e 10 assistentes. Como dois assistentes não assumiram o cargo, uma nova chamada será feita. Outras convocações serão feitas de acordo com a necessidade do município em suprir o quadro das escolas.

     

  • Sexta-Feira, 14/04/2017

    Redução nos juros é positiva, mas para retomada será preciso baixar mais, avalia economista

    Pela primeira vez em oito anos, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu as taxas de juros da economia. A Selic, que é referência para as demais taxas teve corte de um ponto percentual, de 12,25% ao ano para 11,25% ao ano. Isso foi possível porque a inflação começou desacelerar devido à recessão econômica e à queda do dólar.

     

    A economista Cleide Moretto explica que o consumidor vai ser beneficiado, mas a medida deve impactar mais as empresas porque vão poder investir mais nas suas produções com taxas menores de linhas de crédito. Além disso, as empresas vão pode contratar mais empregados e gerar renda.

     

    Segundo Cleide, esse é o ciclo para a economia crescer. Quando os juros são altos, a tendência é de que as pessoas, tanto físicas quanto jurídicas, prefiram aplicar ou deixar o seu dinheiro no banco para render do que comprar ou investir.

     

    Por enquanto, o ambiente é de muita incerteza porque o empresariado teme a estabilidade e o futuro do país do ponto de vista econômico. Mas a expectativa é de que as taxas de juros caiam ainda mais até o final do ano.

     

    A economista ressalta que, mesmo com essa redução, o juro real do país ainda está alto. É preciso um patamar mais baixo para a retomada da economia e dos investimentos. Cleide destaca que o Brasil tem uma das maiores taxas de juros do mundo.

  • Quinta-Feira, 13/04/2017

    Secretaria de Assistência Social espera arrecadar 120 mil doações com a Campanha do Agasalho

    Como acontece todo ano, nessa época, milhares de famílias carentes de Passo Fundo contam com a solidariedade das pessoas que tem um pouco mais de condições para enfrentar o inverno. A Campanha do Agasalho 2017 já está em andamento e, nesse ano, a comunidade está convidada a fazer a doação de roupas, calçados e alimentos não-perecíveis.

     

    No ano passado foram arrecadados 90 mil peças de roupas. Nesse ano a expectativa é atingir a marca de 120 mil doações. Por enquanto, são cinco postos de arrecadação: a sede da Semcas (Rua Morom, 2022, Centro) e os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), localizados nos bairros São José, Vera Cruz, Planaltina e Professor Schissler.

     

    O secretário municipal de Cidadania e Assistência Social, Wilson Lill, informou que nos próximos 15 dias a pasta vai procurar novos parceiros para a campanha, como lojas, instituições e igrejas. Em breve mais pontos de coletas serão disponibilizados. A Campanha do Agasalho vai até a metade de junho.

     

    O secretário destaca que as doações devem estar em boas condições, por isso o slogan da campanha é “Doe o que você usaria”. As roupas e alimentos recolhidos vão para a Central de Recebimento e Distribuição de Doações, que fica ao lado da Biblioteca Municipal, dentro do Espaço Roseli Doleski Pretto.

     

    No local é feita a triagem e a separação das peças e alimentos. Wilson Lill disse que as doações já estão sendo distribuídas na Central. Cada família tem direito a 20 itens. Aquelas que não são cadastradas no CadÚnico, podem fazer o cadastro na hora. O CadÚnico é a porta de entrada para todas as políticas de assistência social do município.

     

    O secretário Wilson Lill ressalta que os passo-fundenses são solidários e sempre participam com a campanha, que visa o bem-estar do próximo.

Pesquisar artigos anteriores

Você acha que o Brasil tem muitos feriados?

Copyright © 2017 Grupo Uirapuru . Todos os direitos reservados. Parceria Sistemas