Ouça agora

Rádio AM 1170 Rádio FM 90.1

Ouça pelo celular



Valdir Mello

  • Terça-Feira, 14/02/2017

    Confira o calendário de saque das contas inativas do FGTS

    O governo divulgou nesta terça-feira (14) o calendário de saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Os saques começam no dia 10 de março, para nascidos em janeiro e fevereiro. Pessoas nascidas em março, abril e maio poderão sacar em abril. Quem faz aniversário em junho, julho e agosto, poderá sacar em maio. Nascidos em setembro, outubro e novembro poderão fazer o saque em junho. Em julho, deverão sacar os nascidos em dezembro. Veja as datas; Nascidos em janeiro e fevereiro: Sacam em março; Nascidos em março, abril, maio: Sacam em abril; Nascidos em junho, julho, agosto: Sacam em maio; Nascidos em setembro, outubro, novembro: Sacam em junho; Nascidos em dezembro: Sacam em julho . Mais da metade dos trabalhadores tem, no máximo, R$ 500 para sacar, segundo o governo. Outros 24% têm saldo entre R$ 500 e R$ 1.500. Os dois grupos representam 80% do total de pessoas com direito a sacar o dinheiro. Os demais têm mais de R$ 1.500 a receber. Antes, só tinha direito a sacar o FGTS de uma conta inativa quem estivesse desempregado por, no mínimo, três anos ininterruptos. Agora, a pessoa que pediu demissão ou foi demitida por justa causa até 31 de dezembro de 2015 vai poder sacar o saldo que ficou na conta.

     Quem tem direito ao saque : Pessoas com saldo em uma conta inativa até 31 de dezembro de 2015. Uma conta fica inativa quando deixa de receber depósitos da empresa devido à extinção ou rescisão do contrato de trabalho. O trabalhador deve estar afastado do emprego pelo menos desde o fim de 2015. O trabalhador, no entanto, não pode sacar o FGTS de uma conta ativa, ou seja, que ainda receba depósitos pelo empregador atual.

     

    Quem está empregado: Quem está atualmente empregado pode sacar o valor de uma conta inativa, desde que o afastamento do emprego anterior tenha ocorrido até 31 de dezembro de 2015.

     

    Várias contas inativas: É possível sacar o dinheiro de todas as contas inativas, ou seja, aquelas que deixaram de receber os depósitos do empregador por extinção ou rescisão do contrato de trabalho, desde que o afastamento dos empregos anteriores tenha ocorrido até 31 de dezembro de 2015.

     Consultar o saldo: O trabalhador pode consultar o saldo pelo site da Caixa ou do próprio FGTS e através de aplicativo para smartphones e tablets (com versão para Android, iOS e Windows). É possível ainda fazer um cadastro para receber informações do FGTS por mensagens no celular ou por e-mail.

     No aplicativo, é preciso informar o número do NIT e a senha criada para o acesso pela internet. Se ainda não tiver senha, é preciso clicar em "Primeiro Acesso". No site da Caixa, é preciso informar o NIS (PIS/Pasep), que pode ser consultado na carteira de trabalho, e usar uma senha cadastrada pelo próprio trabalhador. É possível usar ainda a senha do Cartão Cidadão. A página oferece a opção de recuperar a senha, mas é preciso informar o NIS. O serviço mostra dados cadastrais e lançamentos feitos na conta nos últimos seis meses. O beneficiário pode ainda consultar seu extrato do FGTS presencialmente no balcão de atendimento de agências da Caixa. Também é possível ir a um posto de atendimento e fazer a consulta utilizando o Cartão Cidadão, desde que tenha em mãos a senha. Em caso de problema com essa senha, o trabalhador precisa comparecer a uma agência da Caixa para regularizá-la.  Saque : O trabalhador, se quiser, poderá sacar todo o valor que tem na conta inativa. Com o Cartão Cidadão, poderá ser sacado até R$ 3.000,00 no caixa automático, correspondentes bancários ou nas lotéricas. Valores superiores podem ser sacados no caixa, dentro da qualquer uma das agências da Caixa, quando o valor for liberado. Mas quem não tem o Cartão Cidadão também poderá sacar o dinheiro.

    Documentação para saque : Os trabalhadores que não possuem Cartão Cidadão ou que possuem o cartão, mas irão sacar valor superior a R$ 3.000,00, poderão sacar o FGTS em qualquer uma das agências da Caixa, com seus documentos pessoais, CTPS e o nº do PIS. Quando forem divulgadas as condições definitivas para o saque, será informado se houver necessidade de outros documentos.

     

  • Sábado, 11/02/2017

    Estudantes da rede de ensino privado retornam ás aulas nesta segunda-feira

    O ano letivo para as escolas particulares de Passo Fundo iniciam na próxima segunda-feira (13). Com a volta das aulas também é esperado o retorno do movimento no trânsito do município. Já as aulas para cerca de 13 mil estudantes do ensino fundamental da rede municipal começam na segunda-feira (20). Os professores e os funcionários voltaram ao trabalho na última quarta-feira (15) para planejamento estratégico, reuniões administrativas e últimos ajustes para o retorno dos alunos.As faculdades UPF, IMED, Anhanguera e Faculdades João Paulo IItambém retomam as atividadesno dia 20 de fevereiro. A rede estadual inicia o ano letivo mais tarde, no dia 6 de março.

  • Quinta-Feira, 09/02/2017

    Inadimplência do consumidor cai 4,7%

    Em janeiro, a inadimplência do consumidor obteve queda em dois dos três indicativos registrados pelo Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). Quando comparado o resultado de janeiro contra o mesmo mês de 2016, a retração foi de 4,7% no número de inadimplentes. Já na avaliação acumulada em 12 meses (fevereiro de 2016 até janeiro de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração de 1,9%. Por outro lado, a inadimplência obteve alta de 3,9% em janeiro na avaliação dessazonalizada contra dezembro. Regionalmente, na análise acumulada em 12 meses, a maior retração foi registrada na região Sul (-4,5%), seguida pela região Sudeste (-3,4%). No Norte, Nordeste e Centro-Oeste, a inadimplência no acumulado obteve alta, de 3,3%, 1,6% e 0,8%, respectivamente. De acordo com o diretor do SCPC Passo Fundo, Valter Ceolin, a situação econômica do país ao longo dos últimos anos gerou grande cautela nas famílias, inibindo o consumo e consequentemente contribuindo para a diminuição do fluxo de inadimplência. "Mantendo a perspectiva de pequeno crescimento da economia e renda espera-se uma retomada da demanda de crédito, expandindo a renda disponível das famílias, fatores que colaboram para manter o atual cenário de estabilidade da inadimplência", comenta. O indicador de registro de inadimplência é elaborado a partir da quantidade de novos registros de dívidas vencidas e não pagas informados ao SCPC pelas empresas credoras. As séries têm como ano base a média de 2011 = 100 e passam por ajuste sazonal para avaliação da variação mensal.

     

  • Quarta-Feira, 08/02/2017

    Setor imobiliário de Passo Fundo vê com esperança ampliação do Minha Casa Minha Vida

    O governo federal que vai ampliar o teto de renda para as diferentes fases do Minha Casa Minha Vida, numa tentativa de estimular a venda de imóveis que estão parados no Brasil. Na prática o governo estendeu o programa para famílias com renda mensal de até R$ 9 mil. E anunciou a meta é construir 600 mil novas casas só este ano.A faixa 1, com renda mensal de até R$ 1.800, fica como está. As mudanças serão nas outras 3 faixas.Na faixa 1,5, a renda vai subir para R$ 2.600. Na faixa 2, para R$ 4 mil.E na maior faixa de renda, que é a 3, o teto passa para R$ 9 mil. Emerson Ferrão, diretor de vendas da Arnel Imóveis, acredita que Passo Fundo terá uma influência positiva. Destacou que faixas superiores de renda sempre tiveram juros mais altos, sendo que agora terão esta facilidade. Muitos negócios que estavam parados podem ser retomados na cidade, desafogando um pouco o setor. Ferrão explicou que o mercado de Passo Fundo é amplo, abrangendo desde imóveis de valor mais baixo a grandes valores que passam de um milhão de Reais, mas é através do Minha Casa Minha vida que a maioria dos negócios é feito.

  • Terça-Feira, 07/02/2017

    Tribunal de Justiça mantém decisão e servidores inativos continuam sem vale-alimentação

    O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul negou o agravo de instrumento feito pelo Simpasso contra a liminar que negava a retomada do pagamento do vale-alimentação aos servidores aposentados da Prefeitura de Passo Fundo. O TJ-RS manteve a decisão dada pelo juiz Luís Christiano Enger Aires, que já havia negado o primeiro pedido do Sindicato. O Tribunal de Justiça reconheceu, mais uma vez, que o direito de concessão de auxílio-alimentação aos inativos é inconstitucional, independente da vontade dos administradores. Já em outubro de 2016, o TJ-RS havia apontado a inconstitucionalidade da lei municipal 286493, que estendia o benefício aos aposentados. O advogado que representa o Sindicato dos Servidores Municipais de Passo Fundo-SIMPASSO, Alcindo Roque, explicou que agora, com a decisão do TJ, da qual ainda é possível recurso, se aguarda da decisão de mérito do Mandado de Segurança interposto pelo SIMPASSO e a entidade irá analisar, se for o caso, recursos como qualquer processo judicial normal. Em dezembro de 2014, o Grêmio dos Funcionários Inativos (Grefin) havia ingressado com ação para a manutenção do benefício de vale-alimentação. Em junho de 2015, foi publicada sentença de primeiro grau determinando que o município continuasse fazendo o pagamento aos inativos. A Prefeitura, por obrigação legal, fez o recurso e o Tribunal de Justiça reconheceu a inconstitucionalidade da lei municipal de forma unânime. Esse processo transitou em julgado, isto é, não houve novo recurso do Grefin.Com a decisão, e tendo sido a lei considerada inconstitucional, a Prefeitura recebeu intimação do Tribunal de Justiça para tomar as medidas cabíveis. A Legislação Passo Fundo tem duas leis municipais que tratam da matéria auxílio-refeição para os servidores municipais, ambas datadas de 1993. Uma delas prevê o pagamento aos servidores da ativa (lei 28571993) e a outra se refere aos servidores inativos (lei 28641993).  O Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul vem desde 2005 apontando a necessidade de ajustes na legislação que regula o pagamento do vale-alimentação aos servidores municipais (com relação aos inativos, pela impossibilidade de pagamento). Inclusive, o próprio Tribunal de Contas do Estado já tinha considerado a legislação que regula o pagamento dos inativos como inconstitucional, através de Representação do Ministério Público de Contas.

Pesquisar artigos anteriores

Você acha que o Brasil tem muitos feriados?

Copyright © 2017 Grupo Uirapuru . Todos os direitos reservados. Parceria Sistemas