Ouça agora

Rádio AM 1170 Rádio FM 90.1

Ouça pelo celular



Rádio Uirapuru - Cultura

Publicada em: 22/03/2017

A A A

Novo formato: Jornada de Literatura é lançada em Porto Alegre

Evento ocorre de 2 a 6 de outubro em Passo Fundo

Rádio Uirapuru

Passo Fundo, que é a Capital Nacional de Literatura, se prepara para mais uma edição das Jornadas Literárias, que são uma das maiores movimentações literárias da América Latina. A 16ª Jornada Nacional de Literatura e a 8ª Jornadinha Nacional de Literatura serão realizadas de 2 a 6 de outubro, na Universidade de Passo Fundo (UPF), com atividades em diversos espaços do município. Nesta edição, essa movimentação literária terá como principal característica realizar ações para envolver toda a comunidade, em especial a da cidade de Passo Fundo, num processo chamado de “jornalização”. O lançamento do evento aconteceu nesta terça-feira, 21 de março, no Galpão Crioulo do Palácio Piratini, em Porto Alegre, com a presença da imprensa, apoiadores do evento e autoridades.

 

Neste ano, as Jornadas Literárias completam 36 anos de existência e passam por uma importante remodelação. A equipe das Jornadas, após o cancelamento da edição de 2015, decidiu aprimorar a avaliação da movimentação ouvindo a opinião da comunidade. A partir de uma consultoria, foi realizada uma pesquisa com diferentes setores da cidade: entidades de classe, professores estaduais, municipais e particulares, professores da região de Passo Fundo e professores e funcionários da UPF.

 

Conforme o coordenador da Jornada, Miguel Rettenmaier, a pesquisa mostrou que a cidade gostaria de ser envolvida diretamente nas ações da Jornada, ou seja, queria ser “jornalizada”. “Estamos atendendo ao interesse da comunidade, levando atividades planejadas aos espaços da cidade. A cidade não é apenas um cenário. Ela é um encontro de subjetividades ou uma grande e complexa subjetividade que se veste de formas diferentes em momentos diferentes. A cidade se traja conforme as estações do ano, as diferentes datas festivas, as decisões de futebol... de alguma maneira, estamos tentando vestir essa cidade com os atributos vinculados à leitura e à literatura”, destacou Rettenmaier.

 

Formar leitores é a essência da Jornada. “A ideia é que a comunidade se sinta pertencente à Jornada. A jornalização também envolve a democratização da leitura. Nosso objetivo é formar e ampliar leitores. Queremos, com isso, compartilhar a experiência da Jornada com um público que circula pela cidade, que é consumidor de arte e leitor, mas que, muitas vezes, não está inscrito na Jornada”, declarou a coordenadora da Jornada, Fabiane Verardi Burlamaque.

 

O reitor da UPF, José Carlos Carles de Souza, também ressaltou a importância das Jornadas Literárias para a formação de leitores, consagrando Passo Fundo como Capital Nacional da Literatura. “As Jornadas Literárias dialogam com o contexto exigindo inovações e esta edição será ainda mais interativa. Essa movimentação cultural permite troca de informações sobre o texto literário e promove o debate sobre livros e literatura, aproximando leitores e escritores. Serve como modelo e é uma incomparável atividade cultural”, enfatizou o reitor.

 

O prefeito de Passo Fundo, Luciano Azevedo, destacou como principal ganho do novo modelo das Jornadas Literárias a difusão de ações pela cidade e salientou que Passo Fundo estimula o amor pela leitura e literatura. “Nós investimos muito na revitalização de espaços públicos para que as pessoas ocupem a cidade, cuidem e usufruam do que é seu como patrimônio. No momento em que a Jornada descentraliza suas ações e se espalha pelas ruas e por esses espaços, temos o conceito de leitura ampliado, o que oportuniza uma leitura de mundo da própria cidade. Temos certeza de que Passo Fundo caminha para dar um novo passo na formação de leitores”, disse Luciano.

 

Essa movimentação cultural reúne leitores, escritores, artistas, pesquisadores e intelectuais com o objetivo de formar leitores multimidiais, críticos e esteticamente sensíveis. “Ressalto a amplitude da Jornada, que já conquistou além fronteiras. É um projeto cultural na sua essência”, pontuou o secretário de Cultura do Rio Grande do Sul, Victor Hugo Alves da Silva.

 

As Jornadas Literárias renderam à cidade o título de Capital Nacional da Literatura, reconhecida pela lei nº 11.264/2006, e de Capital Estadual de Literatura, pela lei nº 12.838/2007. “Reconhecer Passo Fundo como Capital da Literatura é valorizar o que é bom. A Jornadinha, em especial, é a semente que se planta pelo futuro, incentivando a leitura desde a infância. A Jornada permite que as pessoas sejam protagonistas”, finalizou o governador, citando frases dos escritores Moacyr Scliar, Ariano Suassuna e Carlos Drummond de Andrade, que são alguns dos homenageados e que darão nome as espaços da Jornada.

 

As Jornadas Literárias são realizadas pela Universidade de Passo Fundo (UPF) e pela Prefeitura de Passo Fundo. A 16ª edição conta com os patrocínios do Banrisul, da Corsan, da Companhia Zaffari e do Bourbon e com o apoio do Ministério da Cultura, além da parceria cultural do Sesc, dentre outras empresas e órgãos. Informações sobre a programação completa podem ser obtidas no portal www.upf.br/16jornada, pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone (54) 3316-8368.

 

Novidades da Jornada

A partir dessa perspectiva de “jornalizar” a cidade, as atividades, além de serem realizadas no Campus I, da Universidade de Passo Fundo, serão estendidas por diversos espaços culturais de Passo Fundo, com ações como o “Projeto transversais: rotas leitoras”, o “Livros na mesa: leituras boêmias” e o “Caminho das artes”. A programação completa dessas atividades será elaborada ao longo dos meses que antecedem a Jornada.

 

A ação “Livros na mesa: leituras boêmias” propõe debates e discussão aberta, para a comunidade em geral, em bares da cidade e espaços culturais no período da Jornada, após as 22h. Até o momento, três bares já confirmaram a parceria: Backstage Pub, Maktub e Quina. A ideia é de que a atividade englobe shows musicais, conversa informal entre escritores e leitores com sessões de autógrafos e lançamentos de livros, entre outras atividades.

 

O “Caminho das artes” deverá acontecer no Centro de Passo Fundo após as 21 horas. Haverá a presença de autores, decoração voltada para a movimentação cultural. A elaboração do Caminho das artes conta com a colaboração do Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo (Emau), projeto de extensão da UPF, coordenado pela professora Carla Portal Vasconcellos.

 

Além disso, a Movimentação Cultural contará ainda com o “Projeto transversais: rotas leitoras”, que será um percurso de leituras, via aplicativo, com atualização dos conteúdos nos principais pontos da cidade.

 

Espaços da Jornada fazem homenagens a escritores

Em 2017, a Jornada Nacional de Literatura, que sempre teve como característica principal dialogar com a atualidade, se abre também para homenagear o passado. Por isso, a 16ª edição da movimentação literária volta seus olhares a quatro grandes escritores brasileiros: Moacyr Scliar, Ariano Suassuna, Carlos Drummond de Andrade e Clarice Lispector, contemplando sua trajetória e as obras que marcaram suas carreiras.

 

O primeiro fator que motivou a escolha dos escritores como homenageados foi o fato de o ano da Jornada estar relacionado ao ano de nascimento ou de falecimento desses autores. Moacyr Scliar e Ariano Suassuna nasceram em 1937 e em 1927, respectivamente. Já Drummond faleceu em 1987, enquanto Clarice faleceu em 1977.

 

Entre as homenagens programadas, está o “batismo” dos quatro ambientes em que acontecem as atividades das Jornada Literárias. Assim, o espaço reservado às atividades da 8ª Jornadinha Nacional de Literatura levará o nome de Espaço Lendas Brasileiras, Clarice Lispector, composto por quatro lonas com nomes alusivos às personagens de lendas brasileiras transcritas por Clarice Lispector na obra Como nasceram as estrelas (1987): Tenda Yara, Tenda Malazarte, Tenda Negrinho do Pastoreio e Tenda Curupira.

 

O Espaço Drummond será composto por livrarias e setores da imprensa, ambiente de sessões de autógrafos e estandes de patrocinadores, em um complexo que homenageia o poeta. A frente do complexo, com acesso aos demais ambientes, será chamada de Passo Itabira (alusão a Passo Fundo e à cidade de nascimento de Drummond).

 

O Espaço Suassuna, na grande lona, com capacidade para 2 mil pessoas, é uma homenagem a Ariano Suassuna. A entrada do circo terá nomenclatura associada à obra do autor, o que também ocorre com o palco, chamado Palco da Compadecida.

 

Já o Espaço Moacyr Scliar, no Centro de Eventos da UPF, abrigará as exposições da Jornada e da Jornadinha. A entrada do Centro de Eventos terá nomenclatura associada à obra do autor, bem como o hall de entrada, chamado Hall dos Centauros.

 

Palco de Debates é denominado Palco da Compadecida e tem novos coordenadores

O Palco de Debates, denominado nesta edição de Palco da Compadecida, ressurge dentro da grande lona, agora denominada Espaço Suassuna. Para comandar as temáticas da Jornada, foram convidados Augusto Massi, Felipe Pena e Alice Ruiz, que mediarão os seguintes debates: “Por elas: a arte canta a igualdade”, “Centauro, pedra, rosa e estrela: Scliar, Suassuna, Drummond, Clarice”, “Monstros e outros medos colecionáveis” e “Literatura e imagem: além dos limites do real”. Entre os escritores confirmados, estão ainda Affonso Romano de Sant'Anna, Conceição Evaristo, Marina Colasanti, Mário Corso, Laerte Coutinho, Michel Laub, Pedro Gabriel e Zeca Camargo.

 

Jornadinha: Leitura em múltiplas linguagens

Um dos principais objetivos das Jornadas Literárias é formar leitores. E é na infância que esse processo começa. É por isso que, nesta edição, existe um espaço reservado ao público infantil e juvenil. Neste ano, a 8ª Jornadinha Nacional de Literatura deve reunir 20 mil participantes do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental, que, durante os turnos da manhã e da tarde, conversarão com os escritores e participarão de diversas atividades em espaços pensados para eles.

 

Entre as novidades deste ano, está a temática das lonas onde acontece a Jornadinha. O espaço será uma homenagem à escritora Clarice Lispector e cada lona receberá o nome de uma personagem de lendas brasileiras transcritas pela escritora na obra Como nasceram as estrelas, de 1987. Assim, ao longo dos dias de Jornadinha, crianças e adolescentes vão se revezar entre a Tenda Yara, a Tenda Malazarte, a Tenda do Negrinho Pastoreio e a Tenda Curupira. O principal objetivo é que todos tenham contato com os autores que conheceram durante a leitura das obras na Pré-Jornadinha.

 

Na programação da 8ª edição, a Jornadinha terá autores premiados como Daniel Kondo, Lúcia Hiratsuka e Jean-Claude Alphen, além de nomes como Edson Gabriel Garcia, Heloísa Prieto e o angolano Ondjaki. De acordo com a coordenadora da Jornada, Fabiane Verardi Burlamaque, a escolha dos autores levou em consideração questões como gênero e temáticas das obras que interessariam o público da Jornadinha.

 

Inscrições

Serão disponibilizadas duas mil inscrições para a 16ª Jornada Nacional de Literatura e 20 mil para a 8ª Jornadinha. Para a Jornada, o período de inscrições inicia a partir do dia 10 de abril de 2017, e, para a Jornadinha, no dia 15 de maio. Ambas se estendem até o preenchimento das vagas. As inscrições devem ser feitas no site da Jornada (www.upf.br/16jornada).

Imagens Relacionadas

Clique nas imagens para ampliá-las.

Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Obesidade pode ser considerada um problema de saúde pública?

Copyright © 2017 Grupo Uirapuru . Todos os direitos reservados. Parceria Sistemas