Obras da Escola do Parque do Sol são retomadas

Créditos: Alex Borgmann

A Prefeitura de Passo Fundo confirmou nesta quarta-feira que foram retomadas as obras da Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) do Parque do Sol. No final de 2018 havia sido assinada a ordem de serviço para a nova empresa licitada retomar a construção da Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) do Parque do Sol. Nesta semana a equipe já está trabalhando no canteiro de obras.

O prefeito Luciano Azevedo, acompanhado do secretário adjunto de Planejamento, Leandro Trizzini, e do secretário de Educação, Edemilson Brandão, visitou a obra. “Tivemos um período de muito esforço, reuniões e idas a Brasília para achar uma solução para a construção da escola. A retomada da obra é uma vitória da comunidade e do Município, que lotou para garantir os recursos federais”, enfatizou Luciano.

Localizada na rua João Bonaseski, a escola será construída em área de 1.436,42 metros quadrados e tem previsão de atender cerca de 230 crianças do bairro e entornos. O projeto da escola possui cinco blocos distintos de acordo com a função a que se destinam: bloco administrativo, bloco de serviços, bloco multiuso e dois blocos pedagógicos. Os cinco blocos, junto ao pátio coberto, são interligados por circulação coberta. Na área externa estão o playground, o castelo d’água e a área de estacionamento.

Segundo o secretário adjunto Leandro, “a retomada do trabalho inicia pelo telhado, que cria condições de trabalho em qualquer situação climática, assim, avançamos com a obra para concluir dentro do prazo determinado”. O prazo contratual para concluir a obra é de 150 dias. O investimento é de aproximadamente R$ 1,9 milhão.

Entenda o caso
Assim como os projetos que foram cancelados, a obra da escola do Parque do Sol faz parte do programa Pró-Infância, do governo federal, e é resultado de uma licitação nacional para construção de escolas em centenas de municípios. Poucas delas, porém, saíram do papel.

O esforço da Prefeitura para retomar os trabalhos começou quando a MVC, empresa contratada pelo governo federal, paralisou a obra. A empresa deveria construir em torno de 300 escolas no sul do país, mas alegando falta de recursos e solicitando aumento do valor do contrato, abandonou a maioria das obras. Em Passo Fundo, a obra está paralisada desde 2016.

Como a MVC – mesmo sendo notificada diversas vezes pela Prefeitura e acionada na Justiça – não retomou os trabalhos, o município precisou buscar outra solução.

Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Notícias Recomendadas