Cooperativismo feminino exaltado na Expodireto

Créditos: Divulgação Expodireto Cotrijal

Neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher e quarto dia da Expodireto Cotrijal, o parque de exposições foi tomado por ações específicas que buscam reforçar a força feminina que rege o cooperativismo. Dentre elas, uma parceria entre Cotrijal, Sistema Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado do Rio Grande do Sul (Sescoop/RS) e Câmara de Vereadores de Não-Me-Toque reuniu mais de 150 mulheres para conversar sobre o protagonismo feminino no cooperativismo.

 

“Que as mulheres seja eternas, sejam fortes! Que a mulher cooperativada construa um mundo melhor como todos nós queremos”, desejou o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Frederico Perius, antes de as atividades iniciarem. Essa já é a segunda edição do evento, que cresce na mesma proporção do interesse das mulheres em participar dos processos de decisão nas propriedades.

 

Ubiracy Barbosa Ávila, analista técnica do Sescoop/RS, destacou que existe uma grande preocupação por parte dos idealizadores com as mulheres cooperativistas. “A realização deste evento é uma grande conquista para as mulheres. Temos aqui mulheres que buscam a inovação, a educação, o ser e o agir, principalmente, dando exemplo às demais mulheres. O cooperativismo é um viés diferenciado. Enquanto o país passa por uma grande crise econômica, social e política, o cooperativismo mostra grandes resultados, a exemplo desta 19ª edição da Expodireto”, enfatizou.

 

A conselheira Representante dos Líderes de Núcleo pela Região Sede da Cotrijal, Roveni Lúcia Doneda, emocionou as presentes do início ao fim do seu relato, que se sentiram representadas pela mulher forte e batalhadora que além dos desafios pessoais, como um diagnóstico de câncer, também enfrenta os desafios que uma área predominantemente masculina acabam impondo. “Eu sempre fui produtora rural e no início era muito difícil ser mulher neste meio. Além de não ter espaço, as mulheres tinham medo. Hoje elas têm mais coragem. Agora as mulheres podem estar onde elas quiserem e isso inclui fazer parte da cooperativa. As mulheres têm que fazer parte da cooperativa, ser sócias e ter poder de voto e de decisão”, afirmou a agricultora.

 

Mulheres empoderadas

Para fomentar o empoderamento das mulheres não só no trabalho no campo como na vida pessoal, a administradora de empresas com ênfase em Marketing e Gestão de Negócios Michele Daandels conversou sobre marketing pessoal com as presentes. “Hoje estamos aqui junto deste nicho de mulheres, que faz acontecer! Só é possível ser empoderada se juntando às outras mulheres, e não reforçando a competitividade. Temos uma força gigantesca e precisamos entender que o mundo precisa de mais mulheres com essa força”, declarou.

 

Participando da série de palestras, a produtora Mariane Erig Müller elogiou a iniciativa, que vê como fundamental para o incentivo às mulheres no meio rural. “Eu acho essas atividades muito importantes porque a mulher tem que saber administrar a sua propriedade. Tem que aprender, dar continuidade ao trabalho realizado”, afirmou a produtora, que faz um pouco de tudo no estabelecimento rural da família.

Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Notícias Recomendadas