Diretor do SINE relata dificuldade das empresas em cumprirem cota de deficientes

Créditos: Arquivo/Rádio Uirapuru

Por lei as empresas de grande porte, a partir de 100 funcionários devem oferecer um número determinado de vagas para pessoas com alguma deficiência. Em Passo Fundo recentemente houve um caso de condenação de uma empresa que não cumpriu esta determinação e não preencheu a cota mínima.

A Uirapuru conversou sobre o assunto na tarde de ontem (13) com o diretor do SINE, Sérgio Ferrari, que destacou a dificuldade dos comerciantes em conseguir candidatos. Conforme Ferrari, há um problema também porque muitos empresários não conseguem vagas para pessoas com deficiência intelectual, que possuem limitação para algumas funções. Ferrari explicou que a pessoa com deficiência, por sua vez, não quer ser somente um número para preencher uma obrigação.

Eles querem um trabalho com dignidade e a oportunidade de crescerem como profissionais. O coordenador explicou que os deficientes que voltam ao mercado muitas vezes ganham muito mais do que quando aposentados por problemas físicos, por exemplo. Diante da falta de incentivo e políticas que possibilitem um retorno com crescimento, a maioria acaba não deixando de lado a segurança de um benefício federal para entrar no mercado…

Ferrari sugeriu uma reunião entre INSS, associações de deficientes, grandes empresas e governo federal para colocar uma proposta concreta que vise resolver essa situação. Hoje a realidade é um empasse onde empresários e trabalhadores estão sendo prejudicados.

Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Notícias Recomendadas