Denúncias de crimes ambientais chegam a 2 mil por ano na Secretaria do Meio Ambiente

Créditos: Gabriel Nunes/Rádio Uirapuru

O último programa Uirapuru Ecologia do ano, realizado no sábado (29), fez um resgate das ações ambientais que aconteceram na cidade nos últimos 12 meses. Entre elas, o programa de educação ambiental no Parque Ambiental Banhado da Vergueiro, que contou com a participação de mais de 4 mil estudantes, a criação do Fundo do Bem Estar Animal, que tem eleição do conselho no dia 10 de janeiro, e a implementação do sistema de logística reversa para o descarte de lâmpadas, que conta com 32 estabelecimentos.

Um dos destaques também foi o número de denúncias de crimes ambientais que chegam até a Secretaria de Meio Ambiente. O secretário Rubens Astolfi contou que são cerca de 2 mil por ano. E se nota que esse número vem crescendo, fruto da própria comunidade que também está fiscalizando os problemas e da falta de estrutura de outros órgãos, como batalhão ambiental e Ibama, que teve a base de Passo Fundo fechada.

O secretário contou que somente em acusações de maus tratos aos animais são mais de 600 por ano. Salientou que as denúncias dependem de vistoria in loco, algumas de notificações e outras ainda de auto de infração. Astolfi disse que até agora a secretaria está conseguindo atender a demanda, por meio de um cronograma de fiscalização. Mas, frisou que a questão do meio ambiente é algo compartilhado, que depende do senso de responsabilidade de cada um. Se não existisse pessoas cometendo crimes ambientais não existiriam as denúncias.

Astolfi destacou que o primeiro passo é a educação ambiental, mas é preciso também do apoio de todos os órgãos ambientais, sendo que o sistema ambiental necessita ser mais estruturado para atender a todas as legislações que mudam ou que surgem todos os meses.

Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Notícias Recomendadas