Secretaria do Meio Ambiente explica: poda e remoção de árvores que tocam fios elétricos são autorizadas para empresa de energia

Créditos: Reprodução/Internet

Na manhã de ontem (28) dezenas de ouvintes entraram em contato com a Uirapuru reclamando da poda de árvores feitas através de pedido da RGE, em situações que a empresa julga oferecer riscos à rede elétrica. Os ouvintes questionam que muitas árvores tiveram um volume grande de galhos cortados.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Rubens Astolfi, explicou que a RGE possui autorização para fazer poda e até mesmo remoção de árvores que ofereçam risco à rede ou aos usuários. O município monitora este trabalho em conjunto com a empresa. O que acontece, segundo o secretário, é que no passado muitas árvores impróprias para certos locais foram plantadas. Estas árvores crescem demais e alcançam os fios, trazendo riscos. O secretário destacou que a RGE já precisou remover 25 árvores somente na Rua Bento Gonçalves, através do programa Remoção mais Segura. Em outras ocasiões a mesma árvore foi podada quatro vezes ao ano para não precisar ser removida. O secretário explicou também que a remoção da árvore é o último recurso. O volume da poda varia de acordo com cada árvore, mas a poda exagerada é proibida.

O secretário alertou que qualquer intervenção em árvores precisa de autorização municipal. Quem precisa fazer este serviço, se tiver árvore no terreno, deve comparecer na Secretaria do Meio Ambiente, junto ao Parque Banhado da Vergueiro. É preciso apresentar a documentação da residência e a bióloga responsável vai verificar e autorizar ou não a poda. Se a árvore estiver no passeio público o serviço será feito pela Secretaria de Transportes e Serviços Gerais. O telefone da Secretaria Municipal de Meio Ambiente é o 3317-2529.

Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Notícias Recomendadas