Vereador Luiz Miguel propõe ao executivo unidade de saúde 24 horas

Créditos: Comunicação/Câmara de vereadores

Há alguns anos o vereador Luiz Miguel Scheis (PDT) apresentou na Câmara de Vereadores um projeto de lei para instituir em Passo Fundo uma unidade de saúde com atendimento 24 horas por dia. Na época a proposta não foi aprovada porque a cidade contava com o Postão 24h, que funcionava na Rua Fagundes dos Reis, esquina com a Paissandu. O Postão pertencia ao Estado e foi desativado em 2011. As suas demandas acabaram sendo absorvidas pelos hospitais filantrópicos e o Municipal.

Hoje, sem o Postão, sem uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) – que também já foi uma promessa para a cidade – e com as mudanças tomadas pelo Hospital São Vicente em relação às consultas na sua Emergência, o vereador Luiz Miguel viu a necessidade de retomar a proposta.

O pedetista está propondo ao Executivo Municipal, por meio de uma Indicação, para que implante o atendimento médico 24 horas, podendo ser em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) ou um Centro de Atenção Integral à Saúde (Cais), com pediatras e clínicos gerais.

Sobre a falta de médicos nas unidades, relatada diariamente por ouvintes da Uirapuru, o vereador lembrou que há um processo de contratação de médicos e garantia do Executivo de que novos profissionais vão começar a atuar em breve.

Luiz Miguel salientou que a saúde básica é de responsabilidade do município, é ele quem tem que prestar o primeiro atendimento à população, através das UBSs, Cais e Hospital Municipal. Destacou que outras cidades próximas, menores que Passo Fundo, como Carazinho, Marau e Frederico Westphalen já possuem esse tipo de serviço.

Ele frisou que a sua posição não é de criticar a administração, mas sim a de apontar o que tem que ser feito para melhorar a saúde de Passo Fundo.

Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Notícias Recomendadas