Na Uirapuru, Chefe de Polícia do Estado anuncia que órgão já está à procura de novo imóvel para DPPA

Créditos: Rodrigo Ziebell/SSP

Quem foi até a Delegacia de Pronto Atendimento da Polícia Civil (DPPA), no bairro Petrópolis, ainda na noite da última sexta-feira (15), registrar uma ocorrência, encontrou as portas fechadas. Responsável pelo atendimento ao público 24h por dia, o “plantão” foi desocupado. Os atendimentos estão sendo realizados junto à 1ª Delegacia de Polícia, que fica na Rua Antônio Araújo, no Centro.

Com exclusividade à Uirapuru, na manhã de sábado (16), a chefe de Polícia do Estado, Nadine Farias Anflor, esclareceu que assim que teve acesso ao laudo estrutural do prédio da DPPA, na última quinta-feira (14), a chefia da polícia Civil comunicou a retirada imediata dos policiais que trabalhavam no local, que ocorreu no final da tarde de sexta-feira. O laudo apontou comprometimento crítico da estrutura e a medida foi tomada por segurança aos servidores e à sociedade. Nadine explicou que, no entanto, o prédio não está interditado. Destacou que o laudo foi solicitado a uma empresa de engenharia porque havia a ideia de transformar o lugar na Central da Polícia Civil de Passo Fundo.

Nadine, que já havia anunciado na emissora que viria à cidade conhecer o prédio de perto, confirmou que a visita já está marcada para o dia 8 de março. Por enquanto, os atendimentos da DPPA seguem provisoriamente na 1ª Delegacia de Polícia, mas já foi iniciada a busca de um novo espaço para colocar o “plantão”, isso deve acontecer em um prazo de até 60 dias.

Estão sendo verificados prédios do Estado, sendo que, como medida emergencial, se estuda alugar um imóvel. Sobre o futuro do prédio atual, que é próprio e que já contou com investimentos da comunidade, Nadine disse que ele ainda passará por novas análises, por hora não há previsão de demolição.

Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Notícias Recomendadas