Passo Fundo tem menor número de vítimas fatais no trânsito em cinco anos

Créditos: Arquivo/PMPF

Ações de educação para o trânsito, fiscalização e investimento na sinalização estão entre as justificativas para a redução do número de acidentes de trânsito em perímetro urbano em Passo Fundo em 2018. O ano que passou teve o menor índice de acidentes dos últimos cinco anos, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública da Prefeitura de Passo Fundo.

Durante todo o ano de 2018 foram registrados oito acidentes com vítimas fatais, metade do registrado em 2017 e o menor índice dos últimos cinco anos. Esta diminuição se deve ao esforço da Secretaria de Segurança em melhorar a sinalização e educar a população, segundo o secretário João Darci Gonçalves da Rosa.

Somente no ano passado foram colocadas 1.500 novas placas de trânsito na cidade. E a Escolinha do Trânsito atendeu um público superior a 23 mil pessoas, com especial atenção para os idosos. Um dos focos de trabalho foi a travessia de pedestres em locais seguros, assunto que foi amplamente debatido pelo Núcleo de Educação para o Trânsito em encontros realizados nos grupos de convivência da terceira idade.

Com o sucesso das ações realizadas em 2018, a secretaria já tem projeções de trabalhos para continuar reduzindo o número de acidentes no ano recém-iniciado. Uma delas é a previsão de instalação de cerca de duas mil placas de sinalização.

Fiscalização

Além das ações de educação e sinalização, teve importante influência nesse resultado a fiscalização ostensiva que foi realizada pela Secretaria de Segurança Pública. Ao longo de 2018 foram diversas operações realizadas com os demais órgãos de segurança, dentre elas as operações do Balada Segura e as fiscalizações contra o consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas.

Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Notícias Recomendadas