Empresa Traçado informa que projeto não prevê ampliação da pista do Lauro Kortz, mas pode ocorrer por aditivo

Créditos: Divulgação

A Secretaria dos Transportes do Rio Grande do Sul assinou na última quarta-feira (19) o contrato para as obras de ampliação do aeroporto de Passo Fundo. A empresa vencedora da licitação, a Traçado Construções e Serviços, de Erechim, que executará os serviços pelo valor de R$ 43 milhões. A previsão é de que a obra inicie na metade de 2019 e dure 24 meses.

A Uirapuru conversou com o presidente da empresa Traçado, Everton Andreetta, que explicou sobre esta primeira etapa. Conforme ele, a ideia da companhia é iniciar pela terraplenagem ainda neste verão. Serão construídos novo terminal de passageiros, com esteira, estacionamento, sistema de iluminação por LED na pista, estação meteorológica e nova estação de radiocomunicação. A estação meteorológica vai poder informar sobre o tempo com precisão para as próximas três horas, o que vai minimizar o problema de aviões que decolam em São Paulo, mas são surpreendidos pelo mau tempo em Passo Fundo.

Andreetta destacou que neste momento não está sendo previsto o alargamento da nova pista. Hoje ela possui 30 metros de largura quando o ideal seria de 45 metros, de acordo com pilotos. Por conta do vento de través eles encontram dificuldade na hora do pouso em razão da pista ser mais estreita. Se ela fosse ampliada, aeronaves maiores, como Airbus A319 e A320 poderiam operar no Lauro Kortz. A alteração na largura não consta no edital e no contrato assinado. A empresa Traçado apenas executa o que está no documento.

A ampliação ainda pode ser incluída ao projeto executivo por meio de um aditivo, mas isso vai depender dos órgãos responsáveis e para acontecer tem que ser feito logo.

Mais Imagens

Previous Next
Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Notícias Recomendadas