Fluxo de passageiros na Estação Rodoviária de Passo Fundo cai mais de 50% em dez anos

Créditos: Arquivo/Rádio Uirapuru

Quem pega ônibus intermunicipais no Rio Grande do Sul está pagando mais caro desde o último sábado (1º). Em Passo Fundo o preço da passagem normal para Porto Alegre saltou de R$ 89 para R$102 Reais. O assunto é polêmico porque muitas cidades perderam linhas e rodoviárias sob a legação de algumas empresas que afirmam não ser rentável. Também muitos usuários reclamam da conservação dos ônibus. No acumulado do ano os gaúchos estão pagando cerca de 19% de aumento nas passagens para as linhas com estações rodoviárias e 22% onde não há. O reajuste de preços foi aprovado pela Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Agergs).

A Uirapuru conversou com o responsável pela Estação Rodoviária de Passo Fundo, o advogado Jabs Paim Bandeira, que criticou a inflação geral no qual, para ele, as empresas estão obrigadas a repassar os preços ao consumidor final. Dr. Jabs explicou que a alta dos preços é geral, atinge os combustíveis, alimentos e serviços. As empresas do transporte são impactadas pela alta destes insumos e agravadas pela redução de passageiros. O jurista lembrou que muitas estações fecharam recentemente, reflexo direto da queda de passageiros. Revelou que na Rodoviária de Passo Fundo, há 10 anos, cerca de 5 mil e 600 passageiros passavam por dia. Hoje este fluxo caiu mais de 50%, ficando em 2 mil e 200 passageiros ao dia.

Em alguns momentos do ano, na baixa temporada, o fluxo cai para cerca de 1.500 passageiros. Isso é reflexo de uma nova forma de transporte: o compartilhado. Muitas pessoas compraram carros de passeio e usam ele em viagens com carona, dividindo os gastos. A consequência é a extinção de linhas e o aumento dos preços, avaliou.

Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Notícias Recomendadas